E os 7 doces vencedores foram…

Foi no sábado passado (7 de setembro) que decorreu a gala Finalíssima que terminou com a revelação oficial dos 7 doces vencedores através de votação popular e em direto num programa transmitido pela RTP1 e RTP Internacional.

A lista dos 7 Doces vencedores é (por ordem alfabética):

– Amêndoa Coberta de Moncorvo IGP

– Bolinhol de Vizela

– Charutos dos Arcos

– Crista de Galo

– Folar de Olhão

– Mel Biológico do Parque Natural de Montesinho

– Roscas de Monção

Apresentado por Catarina Furtado e José́ Carlos Malato, as 7 Maravilhas Doces de Portugal®  elegeram os sete melhores doces do país.

“Hoje posso dizer que Montemor-o-Velho é a vila mais doce de Portugal. As 7 Maravilhas®  foram a atração principal do nosso dia do município, para nós é importante afirmar que temos o melhor que se produz em Portugal. O mérito deste programa é despertar a consciência do país para o melhor que temos, que é excecional” palavras de Emílio Torrão, Presidente da Câmara de Montemor-o-Velho

“Montemor-o-Velho é um território que alia na perfeição a beleza das suas paisagens, refrescadas pela água, com a qualidade das suas tradições gastronómicas. É, pois, um local perfeito para receber a Finalíssima das 7 Maravilhas Doces de Portugal®. Por aqui, percebe-se que o Centro de Portugal é um destino preferencial para quem procura experiências que saciam o corpo e o espírito e nos tornam mais felizes! Felicito a organização deste programa pelo trabalho notável de divulgação das tradições gastronómicas do nosso país e por dinamizarem os locais onde estão inseridas” palavras de Pedro Machado, Presidente Turismo Centro de Portugal

“A RTP congratula-se com o sucesso desta iniciativa que nos levou a percorrer todo o país e na qual contamos com uma participação massiva e número recorde de candidaturas. As 7 Maravilhas Doces de Portugal® traduziram-se numa verdadeira mobilização de caráter nacional à volta de um património tão rico como o dos doces. Concluímos agora uma competição que trouxe ainda uma maior participação de todos os candidatos. Esta é uma forma de dar a conhecer o nosso país e toda a sua diversidade através dos ecrãs da RTP, afirma José Fragoso da RTP1.

“Mais uma vez, estamos a festejar um grande sucesso com estas 7 Maravilhas®s. Com a RTP, temos feito ao longo dos anos, estes programas que são uma verdadeira enciclopédia da cultura popular portuguesa. Em 2019, foram 26 programas em direto em todos os distritos e nos Açores e Madeira. Percorremos mais de 12.000 km, mais de 150 horas em direto na televisão, com doceiras, pasteleiros, padrinhos e claques, foram mais de 2.500 pessoas envolvidas, 140 artistas, 250 convidados e 150 profissionais da RTP do Porto, Lisboa, Açores e Madeira, a quem eu quero agradecer. Agradeço obviamente, à Catarina e ao Malato, que tão bem representam a beleza e a simpatia que sabemos que encontramos em cada português. Em 2020 continuaremos a promover os grandes valores da identidade nacional, aqui na RTP, onde vão continuar a desfilar as inesgotáveis Maravilhas de Portugal”, palavras de Luis Segadães, Presidente das 7 Maravilhas.

O Conselho Científico é um órgão constituído para apoiar a Organização do Concurso na elaboração do regulamento, na verificação das candidaturas e nas tomadas de decisão, tendo o objetivo de libertar a Organização de quaisquer tomadas de posição face aos candidatos a concurso, assegurando por isso, a máxima idoneidade, independência e equidistância do processo. As 7 Maravilhas Doces de Portugal® contam com os seguintes membros no Conselho Científico:

  • ACPP – Associação Cozinheiros Profissionais de Portugal;
  • AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal;
  • APN – Associação Portuguesa de Nutrição;
  • FPCG – Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas;
  • Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural;
  • RIPTUR – Rede de Instituições Públicas do Ensino Superior com Cursos na área do Turismo;
  • Turismo de Portugal – Escolas.

O projeto contou com o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República.

Artigos Relacionados

SEJA ASSOCIADO AHRESP